Boleto bancário, cartão de crédito, dinheiro vivo, TED ou DOC… todos esses meios de pagamento já são bem conhecidos de nós, brasileiros. Mas desde novembro de 2020 contamos com um novo meio de pagamento: é o PIX que chegou para revolucionar a forma como cobramos ou recebemos entre contas.

O PIX irá permitir transações entre pessoas, empresas e governo, 24 horas por dia, sete dias por semana, inclusive nos feriados, todos os dias do ano, com o crédito ocorrendo no mesmo instante.

O Banco Central (Bacen) visa, com essa solução, trazer mais agilidade e simplicidade aos processos de pagamento. Com o avanço da tecnologia e da necessidade de processos mais ágeis, o PIX vem para facilitar a vida de todos, inclusive das empresas.

Hoje ao realizar um TED ou um DOC é preciso digitar muitas informações e, dependendo do horário e dia, o valor só será transferido no próximo dia útil. Da mesma forma ocorre com pagamentos via boleto e cartão de crédito, que tem uma compensação maior em dias.

Outro ponto positivo do PIX é que ele terá um custo muito inferior ao de um TED ou DOC. Quanto a valores para pessoa jurídica ainda não foi divulgado, mas para pessoa física o Banco Central  já pontuou que será gratuito.

Como o PIX irá funcionar?

Inicialmente as principais plataformas para utilização do PIX serão os aplicativos bancários, onde você ou sua empresa tiver uma conta cadastrada. Pelo aplicativo será possível selecionar o envio de uma cobrança ou realizar uma transferência, sem precisar digitar os dados bancários do recebedor e outras informações.

Para que seja possível enviar um dinheiro sem os dados bancários do recebedor o PIX irá funcionar com “chaves” e QR Codes. As chaves são nada mais que informações pré-cadastradas que permitem encontrar a conta-destino com maior facilidade.

Para iniciar a transação, o pagador poderá transferir o dinheiro das seguintes formas:

  • Utilização de chaves ou apelidos como número do telefone celular, CPF; CNPJ; endereço de email;
  • EVP: um número aleatório gerado pelo sistema, para quem não quiser passar um dos dados acima;
  • QR Code (estático, usado em múltiplas operações; ou dinâmico, utilizado em apenas uma operação).

Dessa forma, você poderá enviar ou receber um dinheiro informando apenas o número do seu celular ou CNPJ. Muito mais simples e prático do que precisar informar todos os dados de conta e CNPJ/CPF, como é hoje nos meios tradicionais.

As instituições de pagamento já trabalham para ofertar API’s aos clientes, para que possam realizar a cobrança via PIX de forma mais abrangente integrado a sistemas, como é hoje com um boleto. O principal benefício nesse caso será da empresa receber o valor no mesmo instante em que a transação for efetuada.

Muitas informações e novidades ainda estão sendo divulgadas, pois o que ocorre é uma “corrida contra tempo” para o lançamento de melhorias da plataforma . Os bancos e fintechs recebem do Banco Central informações diárias sobre o funcionamento e precificação da solução, que, para pessoas jurídicas, ainda está sendo estudada.

O PIX ESTÁ CHEGANDO!

Assista ao webinar que a Inside Sistemas e o PJ Bank fizeram para esclarecer todas as dúvidas sobre o Pix

ACESSE AQUI

Clientes Inside Sistemas

Os clientes da Inside Sistemas podem esperar muitas novidades para os próximos meses. O PJBank, instituição parceira da Inside, já trabalha para ofertar as cobranças em modalidade PIX, sendo assim, será possível encaminhar uma cobrança ao cliente direto pelo sistema, ter a baixa instantânea e receber no mesmo dia!

Sobre o autor
Lucas Kowalski
Gerente de contas da Inside Sistemas

Deixe uma resposta para ROBERTO COHEN Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *